quinta-feira, 15 de abril de 2010

XLII



um mondo de obaku -




nasceste:

- ave, caesar, morituri te salutant!


serter que
comerser t(eu

(uem sou eu

t(Eu)xto brevelong(e)o inútil sobreu - Onde a angústia roendo um não de pedra...um dia desses eu... a prova do crime: sexta-feira, 26 de março de 2010 XVIII andheveragain: http://www.trentu.ca/faculty/jjoyce/fw-3.htm Postadopor Marcos Tamamati às 08:20 0 comentários palavras - branco e preto um circo com tão pouco ... acabo me saindo pela boca eu um dia desses eu me acabo em mim eu http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=17602827585922504143bái (e) hei(e) bái hei (e) black (e) white (e) shiro (e) weib (e) schwarz (e) kuro (e) bái hei (e) black (e) ... ,,,(e na lua) no chão (e na lua) no chão e (em marte( e ... a kung fu tsé, um cara aí que, dizem, esteve com lao tsé...dizem que ele uma vez ficou um dia inteiro fixo na contemplação de um vaso antigo... dentro do processo de se fr

morto

ou vivo

mesma dança

do infinito

o nada não está ali (so(l)(mente)

está aqui e por aí... e pois então...
a impossibilidade
de se escrever poesia

expressando-imprimindo
a impossibilidade
de se escrever poesia

expressando-imprimindo
a impossibilidade
de se escrever poesia

expressando-imprimindo
a impossibilidade
na terra,
os pés)

TAMBÉM
É
HUMANO (; é hora
de por os pés
firmes no chão (e na lua)
no chão (e
na lua)











A LUA!
) )dasein
de
todos os lados
em ambos os ombros
pesados de pergunta
para onde?


conquistando o espaço


descendo âncora eterna no vazio


ganhando dinheiro


time is money
and flesh


assim como
no acelerador de partículas
partindo o espaço
sobrando espaço
o que pesa
nos ombros
é o espaço que não tem onde pôr
exceto pondo nos ombros
pesados
de nada


comentário: da mesma forma, quando yu tsu perguntou sobre o como de um tchawan levitar, o mestre iluminado disse que estava indo tomar sencha na cozinha


Nenhum comentário: