quarta-feira, 22 de setembro de 2010

0






!




http://2.bp.blogspot.com/_yaxBbIEpsgU/TJOJWhImDJI/AAAAAAAAAlI/st74BBsclm8/s320/hannya+haramitta.gif





cantando SUTRAS os pássaros entoando sutras e os gansos nos espelhos flutuando juntos às nuvens na tela do lago quack! entoando sutras cães presos contra os portões em coro contra o gato que flutua como por sobre um tapete DE ALGODÃO com desprezo e calma entoando sutras as NUVENS carregando a côrte de deuses e pombas EXPLODEM no meio deles estão todos cantando sutras(que) o avvvvvvvvvvvvvviãããããããããããããããããããoo o

!















domingo, 19 de setembro de 2010

LXXVII - Hino (hopi hapi) pra rapaziada











festas!



pra t(a) i nilo <-------

que por sobre estas terras

te manifestas!, < ---

a paz é teu caminho vi






va!





vida,

vida ao egito!



































































tRECho transcriado do poema Hino a Hapi, O Nilo, autor desconhecido, inscrição mural em Memphis
.








XXXII -





























.












!















o







círculo

















pele


























INTERminável














de























tudo













desejo é nirvana
vagas de eivas
vazio
de relutância
do cio
certeza de eterna idade
o círculo
claro lúrido
úivo da carne
e da raiz







não há
o que não
grão

não há
nada que não deseja




Vida -

pele INTERminável de



tudo

O que cala a boca suja do Buda,
e joga as mortalhas
às malhas molhadas do tálamo



.































































sexta-feira, 17 de setembro de 2010

LXXVI - Solidão Urbana 1 (PUNHETA)

GatoQUERamarGATA entra na sala.



GatoQUERamarGATA sai da sala.



GatoQUERamarGATA entra na sala.






GatoQUERamarGATA sai da sala.



GatoQUERamarGATA entra na sala.


GatoQUERamarGATA sai da sala.


GatoQUERamarGATA entra na sala.




GatoQUERamarGATA sai da sala.




GatoQUERamarGATA entra na sala.


Karol entra na sala.


GatoQUERamarGATA: oi!!!!!!!!!!!!!!































































Karol sai da sala


GatoQUERamarGATA sai da sala.












































































GatoQUERamarGATA entra na sala.


GatoQUERamarGATA sai da sala.


GatoQUERamarGATA entra na sala.










GatoQUERamarGATA sai da sala.







GatoQUERamarGATA entra na sala.


GatoQUERamarGATA sai da sala.


GatoQUERamarGATA entra na sala.










GatoQUERamarGATA sai da sala.

0






















!









cantando SUTRAS os pássaros entoando sutras e os gansos nos espelhos flutuando juntos às nuvens na tela do lago quack! entoando sutras cães presos contra os portões em coro contra o gato que flutua como por sobre um tapete DE ALGODÃO com desprezo e calma entoando sutras as NUVENS carregando a côrte de deuses e pombas EXPLODEM no meio deles estão todos cantando sutras


!







































































































quarta-feira, 15 de setembro de 2010

LXXV - omnia rara cara (naum, num é!)






lambe, a ponta da lança, suas pernas

safo fode outras alunas sedentas:
um galho de ameixeira seu consolo
no olho da lua treme gris-dourado
ato menos douto como o de Obaku
as trinta pancadas, carne e sarau,
prazeres os aplausos das pupilas
são sem tempo ou memória, dioníseas
D. de Caxias - os passantes eis
param e vêem a tela de tv
com um videocassete velho que
puta! otário, olha rápido, olha, vê!
a santa imaculada Silvia Saint
e bem em frente ao Bar do portugueis

















quarta-feira, 8 de setembro de 2010

LXXIII - satori = fazer uma cagadinha

CARALHO,

POR DIAS
NUMEREI A PORRA DOS POSTS
ATROPELADOS



QUE BOA A SOLIDÃO
DE CAGAR SOZINHO E SOSSEGADO!

rsrsrs

LXXII MEU PEITO NÃO É DE AÇO! Ó pra V, OLHA!









Nove mil reverências

Pra chegar até ti

(A)Conchinha sagrada

Que fecha-se tal flor

Aí o (cu)mmings sempre

Teve razão em por

Tal tanta atenção sal

Gada gorda gostosa

Molhada fica tua

Cara são calafrios

E suores noturnos

Mais nada que possamos

Senão pneumofódax

Por um tango daqueles

Por balanço daqueles

Nove mil reverências

Pra chegar até ti

Porque teu coração

Já parti e peguei

Aquele meu pedaço

Vem cá buscar o teu

E vê se não demora

Posso ser bem é míope

Meu peito não é de aço!



Comentário: Shin sempre que encontrava os senpai(e sempre foi assim, mesmo na casa da família real) se sentia como criança, pois estes o tratavam como igual. Cautela é um escudo no caminho correto.
























LXXI

A GENTE FUMA UM E FICA
















A FAVOR DA PAZ , DO VENTO

LXXI

A GENTE FUMA UM E FICA
















A FAVOR DA PAZ E DO VENTO

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

LV - velha briga





mais uma vez

despenca em paranóia

(ou, ao menos,

essa coisa cheia de olhos

se não é patológica tal azia)

chocando-se contra mil dedos

apontando isso e aquilO Outro

do que não pode, não deveria



mas por mais que apele ao mantra "foda-se"

não dá pra botar venda nas ambições que /cultiva

essas que hora parecem boas

hora parecem más

que não desaparecem

custaram vida!



pra que escrever poesia?

das coisas

a de pior serventia

encanta por estar passado

como o que no álcool

só o já estragado

matéria prima

















poesia, te escrevo cinzas
visto que não passa d
oquesobr
as



an

ou
ld






memory. ..







memory...

memory...






memory ...

memory...






MEMORY

memory...





me


m




or








y








...


















aqui e ali
.

essa coisa...




poema :
túmulo-útero


negro e estrelas





en(car/o
ceano

de frente



proteus brinca com a minha mente

mas



nem ele sabe o que vai vir

e oq virá será dessa mesma maneira




procurar poesia

é ter alguma relação profunda com














cinzas





















(vá clicando na imagem acima para ampliá-la)
















E digo um pouco mais, caríssimos que pisam pés em nuvem... Digo: tal como colaria bem ao seu hábito e, vejamaqui o que proponho por enfiando sempre em frente, tal como diria, mais precisamente, o Dr Jacques Locan... eis o que ponho aqui! meus senhores, nada mais nada menos que isso-sim, meus caros, amigos, isso-sim, é um sim-nau de verdade!