quarta-feira, 15 de setembro de 2010

LXXV - omnia rara cara (naum, num é!)






lambe, a ponta da lança, suas pernas

safo fode outras alunas sedentas:
um galho de ameixeira seu consolo
no olho da lua treme gris-dourado
ato menos douto como o de Obaku
as trinta pancadas, carne e sarau,
prazeres os aplausos das pupilas
são sem tempo ou memória, dioníseas
D. de Caxias - os passantes eis
param e vêem a tela de tv
com um videocassete velho que
puta! otário, olha rápido, olha, vê!
a santa imaculada Silvia Saint
e bem em frente ao Bar do portugueis

















Nenhum comentário: