domingo, 19 de setembro de 2010

XXXII -





























.












!















o







círculo

















pele


























INTERminável














de























tudo













desejo é nirvana
vagas de eivas
vazio
de relutância
do cio
certeza de eterna idade
o círculo
claro lúrido
úivo da carne
e da raiz







não há
o que não
grão

não há
nada que não deseja




Vida -

pele INTERminável de



tudo

O que cala a boca suja do Buda,
e joga as mortalhas
às malhas molhadas do tálamo



.































































Nenhum comentário: