quarta-feira, 25 de novembro de 2009

XXIV - A fronte precipitium, a tergo lupi

Assim ouvi. Em certa ocasião, o Tathagata reuniu a assembléia dos monges no Pico do Abutre. Após sair do estado de jhana em que o abençoado permanece a maior parte do tempo, pediu para que refletissem sobre uma pequenina pulga:

Soy hombre: duro poco
Y es enorme la noche

Ma Tsu, após receber o golpe do bastão do mestres, exclamou num soluço:

Soy hombre: duro poco
Y es enorme la noche.

O instrutor do Imperador costumava ruminar na ala de repouso do palácio a tradição de Han Shan:

Soy hombre: duro poco
Y es enorme la noche.

Dôgen morreu muito jovem para um mestre zen, aos 56 anos, provavelmente em decorrência de
uma tuberculose. Koun Ejo se debateu muito sobre o enigma de seu epitáfio:

Soy hombre: duro poco
Y es enorme la noche.

Ouviamos dizer que Harada Daimon só não completara o seguinte koan, "insignificante", diziam os seniors:

Soy hombre: duro poco
Y es enorme la noche.

2 comentários: